Mediacao Inteligente

O trabalho do NUPEMEC | Na prática Na Prática

Escrito por O Mediador 03 Nov, 2016 07:56:42

O NUPEMEC - Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do Tribunal de Justiça de São Paulo, promove e coordena a utilização dos métodos alternativos de solução de conflitos como a conciliação e a mediação para proporcionar à sociedade um Judiciário mais célere, que busca solucionar os conflitos de forma preventiva, acelerando a pacificação social.

É um órgão de inteligência e gestão da Política Nacional que cuida da administração de toda prática que se utiliza de mediação e conciliação na justiça, coordenando os serviços e recursos humanos.

O blog.mediacaointeligente.com.br já entrevistou a a coordenadora de Apoio Administrativo do Nupemec, Maria Cristina Coluna Fraguas Leal e hoje, na sessão na prática, traz um vídeo de 5 minutos em que Maria Auxiliadora Lima Serafim explica como funciona a mediação e o Nupemec.

Assista o vídeo: https://youtu.be/LueugivEtdU

Blog image


Para receber informações cadastre-se em 30 segundos <Clique aqui>

Blog image



A Maior Rede de Solução de Conflitos do PaísMediação Inteligente

Escrito por O Mediador 25 Out, 2016 11:12:21

Entrevista com o Juiz Dr Ricardo Pereira Junior - Coordenador do Centro de Judiciários de Solução de conflitos na Capital.

O Estado de São Paulo desponta no Brasil com números impressionantes de instalações de CEJUSCs - Centros Judiciários de Solução de Conflitos - e em número de mediadores.

A cidade de São Paulo possui a maior rede de CEJUSCs instalada e é referência nacional na implantação dos Centros Judiciais de Soluções de Conflitos coordenados pelo Dr. Ricardo e sua equipe.
Também, segundo levantamento feito no CNJ - Conselho Nacional de Justiça - em outubro de 2016, mais de 60 por cento dos mediadores cadastrados no CNJ são do Estado de São Paulo dos quais 32 por cento estão da cidade de São Paulo.

Blog image

O Blog.mediacaointeligente.com.br , entrevistou Dr Ricardo Pereira Junior - Juiz coordenador do Centro de Judiciários de Solução de conflitos na Capital.

Nesta entrevista, Dr Ricardo fala de sua paixão por mediar e conta como ele e sua equipe na capital coordenam a maior rede de CEJUSCs em atuação em uma cidade brasileira quando, mesmo entre os Municípios do Estado de São Paulo, só temos 106 Municípios com mediadores cadastrados e 539 não tem mediador.

Esta rede torna-se mais relevante ainda, quando constatamos que em 17 Estados não há mediadores cadastrados no CNJ - (ressalva seja feita pois os processos estaduais já possuem CEJUSCs e mediadores).

ENTREVISTA:

Para ler a entrevista completa acesse:
https://goo.gl/T4WIRj

Acesse nosso mapa interativo e Encontre o CEJUSC mais próximo:
<Clique Aqui - Mapa interativo>
Blog imageLista completa: <Clique aqui>

Também aproveitamos para entender mais como será o futuro e o trabalho complementar das câmaras privadas de mediação e conciliação.

Por último conversamos sobre a Semana Nacional de Conciliação - Veja a entrevista com Maria Cristina Coluna Fraguas Leal - que acontecerá em todo país e que em São Paulo mobilizará centenas de pessoas em sessões de conciliação no Parque da Água Branca.


ENTREVISTA

Para ler a entrevista completa acesse: https://goo.gl/T4WIRj

"Álvaro:

Estamos aqui com Dr Ricardo Pereira Júnior, que tem um curriculum invejável, mas estamos aqui em especial pelo trabalho da cultura da paz que ele tem feito aqui no Estado de São Paulo, em especial, como juiz coordenador de todos os CEJUSCS da capital, que tem dados resultados muito claros nesses novas maneiras de resolver de conflitos, no site vocês vão encontrar o curriculum inteiro do Dr Ricardo, sem mais demoras vamos passar para as perguntas.

Primeiro, nós queremos saber como o senhor se apaixonou por mediação? Como veio este amor antigo, que agente sabe que não veio agora, que não é recente e contar um pouquinho também a historia da mediação na Comarca de São Paulo. Como cresceu, quais são os desafios. Primeiro conta como o senhor se envolveu com mediação.

Dr Ricardo:
vou ser muito claro, como todo profissional legal, logo no inicio eu não acreditava na mediação, né? Nós somos formados dentro da profissão legal com a ideia de que o melhor jeito de resolver problemas é através de peças que são elaboradas de maneira intelectual..."

Para continuar a ler acesse: https://goo.gl/T4WIRj

Para assistir um vídeo de 1 minuto com Dr Ricardo Pereira Junior:

Para saber mais da Semana Nacional de conciliação em São Paulo:
Blog image
Baixe o Cartaz e divulgue a Semana Nacional de Conciliação



Agradecimentos à equipe:Blog imageNossa admiração, Dr Ricardo!Blog image

Alvaro Luis Cruz | alc@pobox.com

Andrea Daumichen muniz | Andrea.daumichen@yahoo.com.br

Luciana Martins Loureiro | lucianal@adv.oabsp.org.br

Sergio Ramos sramos_| santos@hotmail.com

Soraia Coluco Moussa | advogada.scm@ig.com.br

Vera Freitas | vera-freitas15@hotmail.com


Blog image











Your mobile does not support playing flash video.

Entrevista com Des. Dr Neves AmorimMediação Inteligente

Escrito por O Mediador 17 Out, 2016 12:10:50

Desembargador Dr. José Roberto Neves Amorim

"
O Juiz põe fim ao processo.
O que põe fim ao conflito é a mediação"

Blog imageGraduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1981). Mestrado e Direito (2002) e Doutorado em Direito (2009) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é desembargador - Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, professor, coordenador do curso e vice diretor da Fundação Armando Álvares Penteado, atuando principalmente nos seguintes temas: Processo Civil, Apelação (Processo Civil), Sentença (Processo Civil), Direito ao Nome e Locação.



No último mês de outubro/16 o blog.mediacaoInteligente.com.br teve a oportunidade de se encontrar com Desembargador Neves Amorim em seu Gabinete no Tribunal de Justiça de São Paulo.

Nesse encontro, em ambiente caloroso e receptivo, Dr. Neves Amorim contou como sua paixão por mediação surgiu, de seus desafios ao cuidar do desenvolvimento da resolução 125 do Conselho Nacional de Justiça aprovada em 2015 e compartilhou histórias de vida singulares, só encontradas na trajetória de umas das mais significativas personalidades que constroem e edificam o instituto da mediação no Brasil.

Agradecimentos à todos da equipe que colaboraram para esta reportagem.

Blog imageAlvaro Luis Cruz, Cristina Fraguas Leal, Luciana Loureiro, Luciana Monteiro, Mariana Zaher., Sergio Ramos Santos, Soraia Moussa e Vera Freitas.

Assista o vídeo completo clicando aqui

Entrevista Dr. Neves Amorim – Gabinete no Tribunal de Justiça de São Paulo.


Uma história singular...

Desde que entrou na faculdade teve o desejo de ser juiz, a própria vida sempre foi voltada para o meio jurídico, e a melhor forma de resolver os conflitos é conversando.

Sempre teve essa vertente, gosta da academia, tendo feito mestrado em Relações sociais e Direito Civil e Relações Sociais Processo Civil, dá aulas e é vice- diretor de faculdade de direito, portanto mantém contado com alunos e ensina que a judicialização só deve ser utilizada em último caso, onde realmente se processa a participação do Estado.

Sendo que o Poder Judiciário jamais vai deixar de existir como Poder constituído, mas deve ser procurado quando a pessoa perceber ser incompetente para solucionar os próprios conflitos, terceirizando para o Estado que decidirá sobre a vida da pessoa que nem sempre agrada, mas foi a pessoa quem procurou.

Sempre gostou da conciliação e posteriormente da mediação que nasceu em 2010 com a Resolução 125 do CNJ. Em 2011 estando no CNJ a pedido do Ministro Cesar Peluzo, com Dr. André Goma, que fazia parte da equipe, começaram a cuidar da Resolução e da divulgação no país, que como mais atrasado, só teve a lei de mediação aprovada em 2015, participou da feitura da Lei de Mediação, e hoje o Brasil tem uma e com o novo código ajudou bastante.

Mudar a cultura leva tempo.
A mudança de cultura e algo que demora um tempo, mesmo com todo o trabalho das semanas nacionais e a divulgação na imprensa. Em SP temos mais de 180 CEJUS e 27 postos, mais de 205 unidades de CEJUSC, para tender a população gratuitamente, sem custas, e de Janeiro a Julho de 2016 houve 95 mil acordos realizados, e o número só sobe, a estatística alegra.

Nos EUA, Canadá, Europa e no mundo existe conciliação e mediação a mais de trinta anos, aqui no Brasil a maioria começa a entender que temos que ter certas preservações e evoluir com o mundo, e embora atrasados tem fé que isso vai acontecer. E o início de tudo é a educação de baixo para cima, quando pequenas, no caso de mediação nos bancos universitários. No Brasil temos 1300 faculdades de direito e no resto do mundo 1100, o número de faculdades é enorme, 3milhoes de bacharéis e 850 mil advogados, mas nem todos conseguem almejar uns por conta do exame da OAB ou por uma preparação que não foi tão boa, muito embora a educação é sempre muito boa, pois a tendência é melhorar como pessoa, com uma visão diferente e mais crítica.

E tem sido feito pedidos nas faculdades para que coloquem nas grades os métodos adequados de solução de conflito, assim que o advogado saia completo, da petição inicial do recurso a mediação e conciliação. É o advogado do futuro, judicializar quando precisa e sentar-se a mesa também.

Justiça Multiportas.
Pregando a Justiça multiportas, as várias facetas da justiça estão a disposição do cidadão, a mediação, conciliação, arbitragem, negociação e a judicialização ao fundo, para as pessoas se utilizem, mas os outros caminhos devem ser percorridos antes. Na Argentina coloca obrigatório a mediação antes da judicialização, no BR não há por conta do excesso de garantismo da constituição essa exigência. Mas com o NCPC no artigo 334, o Juiz recebendo a petição encaminhará para a mediação, que é uma inovação, ou a qualquer momento do processo. Mas o que motiva é os CEJUSC é a mediação pré-judicial, para que o cidadão tenha acesso a mediação sem a necessidade da judicialização e aqueles anos de processo, tendo também um título executivo com homologação judicial.

Acredita na mediação em todos os níveis e também escolar, fundamental. Na universidade o sujeito deve ser preparado para aprender a resolver (dentro da faculdade de direito), mas se vir com essa cultura desde a escola abrindo diálogo para isso será espetacular, começando ai melhoremos mais rapidamente.

Formação de mediadores.
Em relação a capacitação dos mediadores, esta sendo analisado como será feita a avaliação, pois é o início e temos um quadro de pessoas que estão sendo utilizadas mas a pouco tempo, então o mercado vai se depurar automaticamente e vão se destacar, e os juízes vão avaliar o trabalho nos CEJUS, e como todo mercado as pessoas que não se encontrarão vão saindo e as melhores vão ficando e indicando as mais competente. A própria Lei de Mediação obriga a reciclagem, pois não quer ninguém fossilizado, mas se aprimorando em outras áreas.

Câmaras Privadas.
Quanto as Câmaras privadas o Tribunal também tem controle, com cadastro e todo um procedimento com mediadores, e pensando no futuro para ampliar, 20% das mediações feitas no mês anterior são entregues ao Tribunal gratuitamente. Os Juízes vão poder utilizar as Câmaras privadas para fazer a mediação judicial, pois tem o compromisso no cadastro junto ao Tribunal, com o Selo do Tribunal de Justiça.

Assim, pela falta de tempo ainda não há estatística das Câmaras privadas, NCPC entrou em vigor Março 2016, no total há cadastradas 26 câmaras que já estão trabalhando bem, mas outras começando, e temos um prazo de 01 ano para ter um quadro. No momento temos notícia de 2 mil mediações por mês, tendo como cliente grandes empresas com relação de consumo, e uma que fez mediação on line, o SPTV 1º edição exibiu como foi feita, sendo importante para essa avaliação.

Cadastro Nacional de Mediadores.
Nesse primeiro momento o cadastro e qualificação do mediador, o cadastro e qualificação da câmara terão controle do serviço que esta sendo prestado pelo Tribunal de Justiça para ter um serviço de qualidade. A pessoa deve ter vocação empresarial para montar uma câmara, isso e é uma complementação dos CEJUSC, um exemplo é a cláusula compromissória nos contratos de construtora, e a rescisão será feita primeiro com compromisso de mediação, como na arbitragem, pois isso fideliza o cliente, e esse fica mais tranquilo por primeiro tentar negociar. Onde entra o Projeto empresa amiga da Justiça, que é um convênio com o Poder Judiciário e a empresa recebe o Selo, desde que assuma o compromisso de diminuir a judicialização, fazendo com que o cliente sinta uma confiança maior.

Está sendo criado CEJUSC setoriais como o voltado para Bancos, outro para Saúde, o Conselheiro Arnaldo Hossepian do CNJ, é um bom nome a ser ouvido pois esta cuidando da desjudicialização da saúde.

A mídia ainda tá muito tímida, podia se interessar mais, se interessa com os grandes eventos, mas dos pequenos que vivemos muito mais. Na semana nacional de conciliação a mídia aparece, mas deve lembrar se que ao longo do ano todo o Estado tem os CEJUSC que estão trabalhando, resolvendo problemas com pacificação.

Assista o vídeo completo da entrevista!

A Mediação vale a pena!

O mais importante é não rompimento das relações, e quando judicializam as pessoas rompem a relação e isso e muito triste, afasta as pessoas, e quando as pessoas se sentam a mesa preserva a relação.

O importante da mediação e da conciliação á a possibilidade do não rompimento das relações , as pessoas que procuram conseguem manter as relações, faz com que conversem, o diálogo é fundamental no momento, e o mediador tem o papel de provocar o diálogo, o que não ocorre na judicialização, onde as relações são rompidas, pois com a ação as pessoas se afastam, as ofensas se perpetuam e o rancor aflora, ficando mais difícil o consenso final. Não é impossível, mas estatisticamente os números caem muito, na área de família no pré processual e de 83 % e processual e 60%, no cível 65 % pré processual e 35% processual.

Assim a judicialização atrapalha o relacionamento e as pessoas rompem mesmo, e quando o juiz da a sentença uma ganhou outra perdeu e o juiz quando decide o processo não põe fim ao conflito, o que põe fim é a mediação.


Matéria e transcrição: Soraia Moussa
Edição: Alvaro Cruz

apoio:

ABRAMAC - Associação Brasileira de Mediação, Arbitragem e Conciliação.
Receba informações exclusivas em seu email: CLIQUE AQUI

Blog image

Your mobile does not support playing flash video.

Conheça o trabalho do NUPEMEC!Mediação Inteligente

Escrito por O Mediador 28 Set, 2016 16:57:41

Entrevista com Dra. Maria Cristina Coluna Fraguas Leal
Coordenadora Op. do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NUPEMEC) em SP.

Blog image
Ao longo desses 05 anos O NUPEMEC credenciou mais de 50 entidades que dão o curso de capacitação para mediadores. Com todas elas e também no IASP, com a coordenação da Dra. Cristina Zucchi organização Dra. Regina Ribeiro, o núcleo troca informações para atualizações.

O NUPEMEC também firma parcerias com Prefeituras e Universidades para implantação de CEJUSCS que tem o setor processual, pré e cidadania.

Nessa primeira fase, num prazo de 03 à 05 anos, Dra Maria Cristina prevê termos CEJUSCS em todas as comarcas do Estado de São Paulo.
Isto significa que, se temos 178 CEJUSCs em funcionamento,devemos abrir mais 178.
Isto significa crescer num ritmo médio de um novo CEJUSC por semana nos próximos 3 anos.

Semana Nacional de Mediação e Conciliação. 21 a 25 de novembro.

Dra Maria Cristina convida Mediadores, estudantes e o público em geral para participar da Semana Nacional de mediação.




Acesse a entrevista completa: em https://drive.google.com/file/d/0BwIJ0MSzO6woMC13LWhIYnIxY2c/view?usp=sharing

Leia a transcrição em: https://drive.google.com/file/d/0BwIJ0MSzO6woMC13LWhIYnIxY2c/view?usp=sharing

Colaboraram para este Post:
Alvaro Luis Cruz alc@pobox.com
Sergio Ramos sramos_santos@hotmail.com
Carla Christina Amaral Carvalho da Silva carlaamaral.c@gmail.com





Your mobile does not support playing flash video.

Condomínios em GuerraMediação Inteligente

Escrito por Alvaro Cruz 08 Set, 2016 13:44:07

Condomínios em Guerra.

Entrevista com Dra. Ana Luiza Pretel.

Blog image

Viver em condomínio está cada vez mais difícil e complicado pela convivência entre moradores, problemas de gestão e pelas situações com vizinhança externa.

Passamos 2/3 de nossa vida vivendo em condomínio. A crise econômica e o estresse moderno complicam essa convivência pois transformam situações simples em estopim de verdadeiras guerras e discussões intermináveis.

Ouça o áudio da entrevista na íntegra em: https://goo.gl/forms/SRpiEVFB1Puecwx63


Dormindo com o Inimigo.

Os meios usuais de resolução de conflitos em condomínio começam na reclamação, envolvem porteiro/síndico, livros de ocorrências, discussões, assembleias conturbadas e acabam, muitas vezes, por gerar processos judiciais custosos e lentos.

O agravante é que as partes, nestes casos, vão continuar convivendo no dia-a-dia, se encontrando no elevador, nas garagens e na vizinhança.

Em entrevista a Dra. Ana Luiza Pretel - especialista em mediação e conciliação condominial - nos lembra que os custos dos conflitos não resolvidos vão além dos custos financeiros e materiais pois o desgaste emocional decorrente destas brigas que afetam a qualidade da vida em comum nos imóveis.

Conflitos fazem parte da vida.

Conflitos fazem parte da vida e existem em todas as atividades humanas e são resolvidos através de negociação direta entre os envolvidos ou com a intervenção de terceiros para ajudar a resolver a questão.

Nos condomínios estamos acostumados a tentar solucionar os conflitos diretamente, com a intervenção dos síndicos e funcionários ou do poder judiciário.

O problema é que sentimos que essas soluções muitas vezes resolvem o problema em sí mas não reconstroem a relação entre os envolvidos que terão que conviver com marcas de decisões que determinam um ganhador e um perdedor.

“O problema em condomínio é que
usualmente colocamos uma pedra no assunto e,
na primeira oportunidade,
atiramos a pedra na direção do vizinho envolvido.”


Mediação - Resolução pacífica de conflitos.

A resolução pacífica de conflitos faz parte da história da humanidade.

Rabinos, padres, pastores e juízes de paz são figuras de mediadores que ajudam as pessoas a compreenderem melhor as situações, encontrar soluções criativas para resolver o problema, resgatar a comunicação e para preservar as relações nas comunidades.

Na esfera jurídica diversos países no mundo - incluindo Argentina e Uruguai na América do sul - consideram a mediação como passo necessário entre as partes antes do ingresso de ações na justiça. No Brasil a mediação e a conciliação surgem timidamente mas ganharam força legal em novembro de 2010 com uma resolução 125 do Conselho Nacional de Justiça[1] e em Março de 2013 com o Novo código de processo civíl[2] que regulamentaram a mediação e a conciliação para tratamento adequado dos conflitos com força legal.

Condomínios buscam a Paz na Mediação

Diversos condomínios no Brasil começam a utilizar mediadores profissionais que utilizam técnicas de comunicação e mediação para resolver conflitos e evitar ações judiciais e melhorar a convivência.

Ainda segundo Dra. Pretel:

“Nas áreas comuns, em que todos são donos, são problemas que dizem respeito ao condomínio, brigas de vizinhança, animais, problemas de crianças, salão de festas, falta de garagem entre tantos.

Mas também temos problemas com a vizinhança do condomínio em sí. É o caso da abertura de uma rave ao lado do conjunto, ou ainda de mudança de uso do bairro.

A Vila Madalena era um bairro tranquilo até poucos anos. A Mudança da configuração traz conflitos que podem ser resolvidos pela mediação.”

Na prática restabelecer o diálogo sempre é a melhor opção e trazer um mediador externo colabora na isenção, conforto entre as partes e no aporte de experiência técnica por ter participado de inúmeras mediações condominiais anteriormente.

Ouça o áudio da entrevista na íntegra em: https://goo.gl/forms/SRpiEVFB1Puecwx63
Blog image

Palestras realizadas: https://goo.gl/jKelVi

Notas:

_ Negociação: As partes transacionam seus interesses e chegam a um acordo sem a intervenção de terceiros.

_ Arbitragem: As partes solicitam a tutela de um terceiro para decidir a questão. Desta forma termos a arbitragem privada com as partes escolhendo quem julga e a pública provida pelo sistema judiciário.

_ Mediação: As partes solicitam que um terceiro os ajudem a chegar em uma solução que resgate o diálogo entre as partes para comporem alternativas de solução.











As vantagens da MediaçãoMediação Inteligente

Escrito por Alvaro Cruz 23 Ago, 2016 13:22:34

Acesse: www.mediacaointeligente.com.br

O Escritório Pinheiro, Mourão, Raso e Araújo Filho, avalia a importância da Mediação como forma alternativa de solução de conflitos.

MEDIAÇÃO: SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA CONFLITOS

Blog image

AGENDA PMRAF - NÚMERO 43 - Janeiro LÍVIA GUIMARÃES GONÇALVES -

Fala-se hoje muito sobre a arbitragem, mas permanece ainda pouco conhecida e utilizada a mediação. Esta é uma das formas alternativas de solução de conflitos na qual um terceiro imparcial colabora para que as partes conflitantes cheguem a um acordo. O instituto mostra-se bastante eficaz em situações peculiares, nas quais a arbitragem ou o processo judicial não se mostram capazes de proporcionar a solução mais adequada.

O mediador busca neutralizar as emoções ...
Leia mais http://goo.gl/0tMysUBlog image